Como Somos

Isabel Sanson Portella

 

“Bastaram dois sorrisos e um olhar

Foram mais felizes sendo um par.”

Como Somos – Nando Reis

 

Somos corpo e somos alma. Somos o sono e o sonhar. Somos pássaros sem asas, braços querendo abraços, linhas querendo nós, desejos querendo encontros. Somos a possibilidade da criação, da invenção, da reflexão. Somos o olhar escondido, o fio estendido, o encontro perdido. Somos muitos, somos múltiplos e, no entanto, somos apenas nós.

 

Bel Barcellos traz em sua obra as delicadezas da vida, as entre linhas das relações. No desenho bordado, o olhar para o outro, a percepção das igualdades e diferenças, as palavras ditas e as guardadas. O confronto do silêncio eloquente e da imobilidade repleta de gestos, cria a vontade de interferir e, nas entre linhas, escrever nosso próprio texto.  Como num jogo de tabuleiro, as escolhas se impõem, e os momentos de escuridão se alternam com a leveza e a paz da claridade.

Sobre nós estão o céu, os pássaros, a copa das árvores. Existe a promessa de infinito, de vôos mais livres, do desejo das alturas. Haverá também uma promessa de amor eterno do homem e da mulher sob os galhos secos? Será encontro ou despedida? Estarão trocando palavras doces ou desfiarão mágoas antigas? Na verdade é somente um casal e uma árvore despida. O resto é apenas o nosso olhar.

 E é então que a artista nos apresenta uma interrogação: Aonde está você? Aonde você se escondeu? Brincando de esconde-esconde, tapamos os olhos e fingimos que, como não vemos, ninguém também nos vê. Não vemos as sombras, os nossos demônios, o outro. Quem se esconde quer ser achado, quem se perde quer o encontro. Será?  Mas quem procura precisa abrir bem os olhos, contar até três e partir confiante. Bel Barcellos propõe, nesta série, cinco situações, todas parte do jogo que existe nos relacionamentos afetivos. Procura, dissimulação, desejo de encontrar, esconder, revelar. Seus bordados e traços reforçam a indagação. O desenho delicado esconde a força de sua proposta revelando a percepção e sensibilidade com que constrói a sua poética. 

Costuras e bordados povoaram a infância de Bel, que a principio usava linhas e agulhas para passar o tempo. Mas o tempo passou e essa arte ficou em sua vida como forma de expressar seus anseios e ferramenta para suas obras. A figura feminina da tecelã e bordadeira que puxa, amarra e corta os fios da vida está presente como símbolo da mulher poderosa através dos séculos. “Os bordados tornaram-se tão fortes e reveladores de uma linguagem que me traduzia que passaram a compor o desenho como um todo”, acentua Bel Barcellos. A figura humana tem sido o cerne de suas pesquisas e nas séries mais recentes sua atenção tem se voltado para as relações afetivas. Homens e mulheres, seus encontros e desencontros, buscas, desejos, escolhas. A linha desenha abraços e despedidas enquanto a agulha fura o tecido, trazendo a lembrança da dor. Na série “des/encontros”, feita sobre antigos lenços que pertenceram a familiares, a artista traça reflexões sobre partidas e despedidas que fazemos ao longo da vida. “Não tenha medo de deixar que se vá”, fala da necessidade de desapegar, soltar e deixar seguir.

“Livro de cabeceira” traz o feminino, os sonhos e as imagens reveladoras despertadas. O linho branco é suporte para os desenhos a grafite e bordados, tão lindamente mesclados que é difícil dizer o que mais encanta. A atmosfera onírica permanece no olhar do expectador e cada obra desperta a sensação de entrega e de paz.

Bel Barcellos reuniu na mostra Como Somos obras que são bem mais do que divagações sobre a condição humana. Em todas há uma reflexão silenciosa sobre o cotidiano do ser moderno que enfrenta o difícil relacionamento com o outro. Abrigado ou aprisionado numa sociedade individualista, o homem tenta expressar suas aspirações e anseios em pequenos gestos de forma a não submergir na imensa multidão que o cerca. Foram esses momentos, tão reveladores do humano em nossos dias, que Bel captou com sua sensibilidade, transformou em arte e sempre irá emocionar a quem quiser seguir os pontos de seus bordados.

 

Entre linhas (imagens)

Sobre nós (imagens)

Nós (imagens)

Livro de cabeceira (imagens)